Câncer de próstata

Apesar de pequena, do tamanho de uma castanha, a próstata tem uma grande responsabilidade. É uma glândula que só o homem possui e que se localiza na parte baixa do abdômen, abaixo da bexiga e na frente do reto.

Produz cerca de 70% do sêmen, líquido espesso que contém os espermatozoides e é liberado durante o ato sexual. É uma substância fundamental para a vitalidade do homem e, portanto, representa um papel fundamental na fertilidade masculina.

A próstata apresenta consistência firme e homogênea ao toque. O câncer ocorre quando as células da região começam a se multiplicar de forma desordenada e ela fica, então, mais endurecida. Na fase inicial, o câncer de próstata não tem sintomas. Em 95% dos casos, eles aparecem em estágio avançado.

Portanto, exames preventivos frequentes são fundamentais para que a doença não seja descoberta em estado avançado. Homens a partir dos 50 anos de idade (ou 45, se houver casos de câncer de próstata na família), devem procurar um urologista anualmente para realizar os exames preventivos.

As causas do câncer de próstata

Ainda são desconhecidas. Embora normalmente apareça em homens com mais de 65 anos de idade, as chances de desenvolver a doença aumentam em até 50% se já houve algum caso de câncer de próstata na família, como pai ou irmão.

Outros fatores, como o estilo de vida, alimentação inadequada à base de gordura animal e pobre em frutas, legumes, verduras e grãos também podem interferir no surgimento da doença.

Quais são os sintomas?

Em sua fase inicial, o câncer da próstata tem uma evolução silenciosa. Por isso, muitos homens não apresentam nenhum sintoma ou, quando apresentam, são semelhantes aos do crescimento benigno da próstata, também chamado de HPB.

Quando alguns sinais começam a aparecer, 95% dos tumores já estão em fase avançada, dificultando a cura.

Confira os sintomas que são suspeitos e merecem uma consulta ao médico:

– A sensação de que sua bexiga não se esvaziou completamente e ainda persiste a vontade de urinar.
– Dificuldade de iniciar a passagem da urina.
– Dificuldade de interromper o ato de urinar.
– Urinar em gotas ou jatos sucessivos.
– Necessidade de fazer força para manter o jato de urina.
– Necessidade premente de urinar imediatamente.
– Sensação de dor na parte baixa das costas ou na pélvis (abaixo dos testículos).
– Problemas em conseguir ou manter a ereção.
– Sangue na urina ou no esperma (esses são casos muito raros).
– Dor durante a passagem da urina.
– Dor quando ejacula.
– Dor nos testículos.
– Dor lombar, na bacia ou no joelhos.
– Sangramento pela uretra.

Na fase muito avançada, o câncer de próstata pode provocar dor óssea, sintomas urinários ou, quando mais grave, infecção generalizada ou insuficiência renal.

Por isso, é importantíssimo que os homens desenvolvam o hábito de prestar atenção ao seu organismo para observar sintomas repentinos e alterações. Assim, podem procurar um médico para tirar dúvidas, ser orientados e tratados.

Diagnóstico

Tendo desconfiança em relação à presença do câncer de próstata, o paciente deve procurar um urologista de confiança para que ele indique exames básicos para detectar o câncer de próstata.

De acordo com os especialistas, juntamente com o histórico familiar, o toque retal é a forma mais segura de detectar anormalidades. Rápido e indolor, o exame é parte fundamental para detectar o estágio da doença assim como para definir o tipo de tratamento.

Outros exames, como a dosagem de PSA (antígeno prostático específico), a biópsia, o ultrassom transretal e a cintilografia óssea também são importantes exames para identificar o estágio do câncer. Sem tratamento adequado, o câncer de próstata pode se espalhar para outros órgãos do corpo (metástase).

Cada tipo de câncer tem uma história natural e evolução peculiares. Um mesmo órgão pode ter vários tipos de doenças malignas, com distintos graus de gravidade. Também é distinta a evolução de tumores de mesma linhagem celular quando acometem órgãos diferentes.

De maneira geral, não existe um caso igual a outro: a idade do paciente, o estado geral em que se encontra, a extensão da positividade na biópsia, o tipo de diferenciação das células (se elas se parecem com a glândula original ou não), são algumas das variáveis para análise da gravidade de caso.

Os Tratamentos

Os tratamentos do câncer de próstata devem ser individualizados e únicos de acordo com as necessidades de cada paciente, levando-se em conta a idade, o estadiamento do tumor, o grau histológico, o tamanho da próstata, as comorbidades (existência de duas ou mais patologistas em um mesmo paciente), a expectativa de vida, os anseios do paciente e os recursos técnicos disponíveis. Para saber mais sobre os métodos.

Prevenção

O câncer de próstata não pode ser prevenido, mas há 90% de chances de cura quando diagnosticado precocemente. Assim, realizar exames periodicamente é a melhor maneira de se prevenir contra a doença. Sociedades médicas recomendam que homens a partir dos 50 anos de idade façam o exame de próstata anualmente, e acima dos 45, caso esteja inserido nos fatores de risco.

O ritual compreende o toque retal e o exame de sangue, para checar a dosagem do PSA (antígeno prostático específico). Havendo alguma suspeita, o paciente deve se submeter à biópsia da próstata. O toque retal é considerado indispensável e não pode ser substituído pelo exame de sangue ou por qualquer outro exame, como o ultrassom. Somente com o resultado dessa análise do tecido é que poderá ser fornecido o diagnóstico.

Sabe-se que uma mudança no estilo de vida é crucial para aumentar a sobrevida, incluindo uma alimentação saudável e a prática de atividades físicas no dia a dia.



Product Image