Contato
Contato
Contato
Contato Bem Benefícios

Glicose alta

Casos de glicose alta podem ser devido a vários fatores diferentes e nem todos eles são diabetes. As taxas de glicose no sangue variam muito durante o dia e é preciso saber quando medi-la para determinar que algo está errado com sua saúde. Hoje, vamos falar sobre a glicose e seus níveis no sangue, para saber quando se preocupar e procurar um médico.

O que é glicose?

Glicose vem da palavra grega que significa “doce”. É um tipo de açúcar que você obtém dos alimentos que come e seu corpo o usa como energia. Como ela viaja através da corrente sanguínea para as células, é chamada de açúcar no sangue.

A insulina é um hormônio que move a glicose do sangue para dentro das células para energia e armazenamento. Pessoas com diabetes têm níveis de glicose no sangue mais altos do que o normal. Ou então, não têm insulina suficiente para movê-la ou suas células não respondem à insulina tão bem quanto deveriam.

A glicose alta no sangue por um longo período de tempo pode danificar seus rins, olhos e outros órgãos.

Como o corpo consegue a glicose?

A glicose provém principalmente de alimentos ricos em carboidratos, por exemplo: como o pão, batatas e frutas. Enquanto você come, a comida viaja pelo esôfago até o estômago. Lá, ácidos e enzimas quebram em pequenos pedaços. Durante esse processo a glicose é liberada.

Ela entra em seus intestinos onde é absorvida. De lá, passa para a corrente sanguínea. Uma vez no sangue, a insulina ajuda a glicose a chegar às células.

Como a glicose é usada no corpo

Seu corpo é projetado para manter constante o nível de glicose no sangue. As células beta do pâncreas monitoram seu nível de açúcar no sangue a cada poucos segundos. Quando a glicose no sangue aumenta após a ingestão, as células beta liberam insulina na corrente sanguínea. A insulina age como uma chave, liberando células musculares, gordurosas e hepáticas, para que a glicose possa entrar dentro delas.

A maioria das células do seu corpo usa glicose juntamente com aminoácidos (os blocos de construção das proteínas) e gorduras para energia. Mas a glicose é a principal fonte de combustível para o seu cérebro. Células nervosas e mensageiros químicos precisam dela para ajudá-los a processar informações. Sem isso, consequentemente, seu cérebro não seria capaz de funcionar bem.

Depois que seu corpo usou a energia de que necessita, a glicose restante é armazenada em pequenos feixes chamados glicogênio no fígado e nos músculos. Seu corpo pode armazenar o suficiente para abastecê-lo por cerca de um dia.

Depois de você não ter comido por algumas horas, seu nível de glicose no sangue cai. Seu pâncreas pára de produzir insulina. Células alfa no pâncreas começam a produzir um hormônio diferente chamado glucagon. Ele sinaliza ao fígado para quebrar o glicogênio armazenado e transformá-lo de volta em glicose.

Essa glicose então viaja para sua corrente sanguínea para reabastecer seu suprimento até que você possa comer novamente. Seu fígado também pode produzir glicose usando uma combinação de resíduos, aminoácidos e gorduras.

Glicose elevada no sangue (hiperglicemia)

Sempre que o nível de glicose (açúcar) no sangue fica alto temporariamente, essa condição é conhecida como hiperglicemia. A condição oposta ou glicose baixa, é chamada hipoglicemia.

Os níveis de glicose no sangue podem variar muito durante o dia e a noite. Idealmente, os níveis de glicose no sangue variam de 90 a 130 mg/dl antes das refeições e abaixo de 180 mg/dl dentro de 1 a 2 horas após a refeição. Adolescentes e adultos com diabetes se esforçam para manter seus níveis de açúcar no sangue dentro de uma faixa controlada, geralmente 80-150 mg/dl antes das refeições.

Quando há níveis constantes de glicose alta no sangue, a desidratação, por exemplo, além de complicações mais sérias podem se desenvolver. Além disso, mesmo a hiperglicemia leve (um nível de glicose alta no sangue em jejum acima de 109 mg/dL em adolescentes/adultos ou acima de 100 mg/dL em crianças antes da puberdade), quando não reconhecida ou tratada inadequadamente por vários anos, pode danificar múltiplos tecidos no cérebro, rins e artérias.

Quando a hiperglicemia está associada à presença de cetonas na urina, esse estado exige atenção médica imediata. Quando os níveis de glicose alta no sangue aumentam e permanecem altos (acima de 165 mg/dl consistentemente) por dias a semanas, deve-se suspeitar de diabetes e iniciar o tratamento.

Causas da glicose alta no sangue

Diabetes mellitus é uma das várias condições persistentes que causam níveis de glicose alta no sangue. Para alguém com diabetes, a hiperglicemia tem várias causas possíveis:

– Carboidratos: Comer alimentos contendo muitos carboidratos, que é uma forma de açúcar. Como resultado, os níveis de açúcar no sangue podem aumentar dentro de horas após a ingestão desses alimentos.

– Controle da insulina: Não produzir insulina suficiente. Pessoas com diabetes devem controlar o açúcar no sangue por uma combinação de dieta, medicação e atividade física. Enquanto alimentos, exercícios e insulina não são equilibrados, os níveis de açúcar no sangue aumentam.

– Estresse: As emoções podem desempenhar um papel importante e causar hiperglicemia, mas não devem ser usadas como uma desculpa para o mau controle disso ou da diabetes.

– Baixos níveis de exercício: O exercício diário é um fator crítico na regulação dos níveis de açúcar no sangue. Portanto, procure praticar uma atividade física regular.

– Infecção, doença ou cirurgia: Devido a certas doenças, os níveis de açúcar no sangue tendem a subir rapidamente ao longo de várias horas.

– Medicamentos: certos medicamentos, especialmente esteroides, podem afetar os níveis de açúcar no sangue. Consequentemente, diabéticos devem procurar um médico antes de tomar algum medicamento.

Outras causas para a glicose alta ocorrer são:

– Ignorar ou esquecer a sua insulina ou medicamento oral para baixar a glicose

– Ter uma infecção

– Estar doente

– Torna-se inativo ou se exercitar menos que o normal

– Participar de atividade física extenuante, especialmente quando os níveis de açúcar no sangue estiverem altos e os níveis de insulina estiverem baixos

Sintomas de glicose alta

Um alto nível de açúcar no sangue em si é um sintoma de diabetes. No entanto, um indivíduo com hiperglicemia pode não apresentar sintomas.

Sintomas de glicose alta mais comuns podem incluir:

– Boca seca

– Sede

– Micção frequente

– Micção durante a noite

– Visão embaçada

– Pele seca e com coceira

– Fadiga ou sonolência

– Perda de peso

– Aumento do apetite

Se a hiperglicemia persistir por várias horas e levar à desidratação, outros sintomas podem se desenvolver, como:

– Dificuldade ao respirar

– Tontura ao ficar em pé

– Perda de peso rápida

– Aumento da sonolência e confusão

– Inconsciência ou coma

Se não for tratada, a glicose alta pode levar a uma condição chamada cetoacidose, também conhecida como cetoacidose diabética. Isso ocorre porque o corpo tem insulina insuficiente para processar a glicose em combustível, então o corpo quebra as gorduras para usar como energia. Quando o corpo quebra a gordura, as cetonas são produzidas como subprodutos. Algumas cetonas são eliminadas pela urina, mas não todas. Até que o paciente esteja reidratado e a ação adequada da insulina seja restaurada, as cetonas permanecem no sangue. Cetonas no sangue (cetoacidose) causam náusea, dor de cabeça, fadiga ou vômito.

A cetoacidose é potencialmente fatal e exige tratamento imediato. Os sintomas incluem:

– Falta de ar

– Náusea e vómito

– Boca seca

– Dor de estômago

Medidor de glicose

Os níveis de açúcar no sangue podem ser medidos em segundos usando um medidor de glicose no sangue, também conhecido como glicosímetro. Uma pequena gota de sangue do dedo ou do antebraço é colocada em uma tira de teste e inserida no glicosímetro. O nível de açúcar no sangue (ou glicose) é exibido digitalmente em segundos.

Você pode procurar medir sua glicose num posto de saúde ou mesmo em casa. Certamente, caso opte por fazer o teste em casa, será necessário adquirir um aparelho para medir glicose. Os mais comuns são os que medem o açúcar no sangue através de uma gota de sangue retirada da ponta do dedo.

Geralmente, ter um aparelho desses em casa, é especialmente indicado quando se tem diabetes ou pré-diabetes. Realizar medições antes e após as refeições e após tomar sua medicação para diabetes, podem ajudar, sobretudo, no controle da doença. As medições antes e após as refeições podem indicar quais alimentos podem aumentar mais sua glicose no sangue. Por outro lado, medir sua glicose após tomar a medicação, ajudará você a perceber como ela esta te ajudando no controle da doença.

Além disso, seu médico também pode indicar que faça medições para verificar glicose alta ou outras alterações, durante outros horários, como por exemplo, antes de dormir ou após acordar.

Quem deve realizar um teste de glicose

Há certos casos em que é necessário realizar um teste, ou exame de glicose, com mais frequência. Primeiro de tudo, esse teste, deve ser feito quando existem sintomas de glicose alta ou baixa, ou seja, alguma alteração no nível de açúcar no sangue. Além disso, do mesmo modo, também é realizado em pessoas que possam apresentar uma maior possibilidade de sofrer de diabetes, como por exemplo:

– Pessoas com obesidade

– Pessoas com familiares diretos que sofrem de diabetes

– Aqueles que sofrem de pressão arterial alta ou colesterol elevado

– Mulheres que sofreram diabetes gestacional

Da mesma forma, pessoas com mais de 45 anos, deverão realizar um teste de glicose de rotina a cada 3 anos ou com uma maior frequência. Assim, a frequência para realizar o teste deve variar dependendo do risco individual de cada paciente.

Como medir a glicose em casa

Utilizar um aparelho comum de medição de glicose é, sobretudo, muito simples. Você pode adquirir esse aparelho em farmácias, por exemplo, e, seu preço pode variar de 50 a 100 reais. Para usá-lo, em primeiro lugar, é necessário lavar bem as mãos, após, siga os seguintes passos:

– Insira uma fita de teste no aparelho de glicemia

– Espete seu dedo com a agulha do aparelho

– Encoste a fita de teste à gota de sangue até preencher o depósito da fita de teste

– Espere alguns segundos até que o valor de glicemia apareça no monitor do aparelho

Deve-se trocar o dedo a cada novo teste. Alguns aparelhos funcionam de maneira diferente, e, portanto, deve-se ler as instruções antes de utilizar o seu.

As fitas de teste, assim como as agulhas, geralmente, veem junto com o aparelho, mas são descartáveis. Sendo assim, é necessário comprar mais após algum tempo. Pessoas com diabetes, que fazem tratamento pelo SUS, podem conseguir essas fitas, além das agulhas, de graça em um posto de saúde.

É, especialmente relevante, dizer que as agulhas ou lancetas, utilizadas no teste de glicose, devem ser trocadas a cada teste. Isso impede uma verificação mais dolorosa e, consequentemente, o risco de infecção nos pontos de aplicação. Além disso, esses objetos não devem nunca ser compartilhados com outra pessoa.

Outro fator importante a ser dito, é em relação ao descarte desses objetos, que, como resultado, devem ser descartados adequadamente. Uma das formas de fazer isso é colocá-los na embalagem original e levar para o descarte num centro de saúde, onde, finalmente, terá local adequado para eles.

Qual nível de glicose é considerado diabetes?

Os níveis de glicose normal no sangue em jejum devem estar entre 70 e 100 mg/dL. Os níveis de glicose devem ser menores que 100 mg/dL depois de não comer (jejum) por pelo menos 8 horas. E menos de 140 mg/dL 2 horas depois de comer.

Durante o dia, os níveis tendem a ser mais baixos logo antes das refeições. Para a maioria das pessoas sem diabetes, os níveis de açúcar no sangue antes das refeições oscilam em torno de 70 a 80 mg/dL. Para algumas pessoas, 60 é normal, para outras, 90.

O que é um baixo nível de açúcar? Também varia muito. A glicose de muitas pessoas nunca cairá abaixo de 60, mesmo com o jejum prolongado. Quando você faz dieta ou jejua, o fígado mantém seus níveis normais transformando gordura e músculo em açúcar. Os níveis de algumas pessoas podem cair um pouco mais.

Por que os altos níveis de açúcar no sangue são ruins para você?

A glicose é um combustível precioso para todas as células do seu corpo quando está presente em níveis normais. Mas pode se comportar como um veneno de ação lenta caso isso não ocorra.

A glicose alta no sangue lentamente corroí a capacidade das células do pâncreas de produzir insulina. O órgão é compensado e os níveis de insulina permanecem altos demais. Com o tempo, o pâncreas fica permanentemente danificado.

Altos níveis de açúcar no sangue podem causar alterações que levam a um endurecimento dos vasos sanguíneos, o que os médicos chamam de aterosclerose.

Quase qualquer parte do seu corpo pode ser prejudicada por ter glicose alta constantemente no sangue. Vasos sanguíneos danificados, por exemplo, causam problemas como:

– Doença renal ou insuficiência renal, requerendo diálise

– Ataques cardíacos

– Perda de visão ou cegueira

– Sistema imunológico enfraquecido, com maior risco de infecções

– Disfunção erétil

– Danos nos nervos, também chamados de neuropatia, que causam formigamento, dor ou menos sensação em seus pés, pernas e mãos

– Má circulação nas pernas e pés

– Cicatrização lenta e potencial de amputação em casos raros

Se você tem diabetes tipo 2 ou se está em risco, o nível de glicose alta no sangue pode levar a uma condição potencialmente letal em que seu corpo não consegue processar o açúcar. Essa condição é chamada de síndrome hiperosmolar não cetótica. Nesse caso, você vai urinar com mais frequência no início e depois com menos frequência, além disso, a urina pode ficar escura e você pode ficar gravemente desidratado.

Quando procurar atendimento médico devido ao açúcar elevado no sangue (hiperglicemia)

Procure um médico se a glicose alta no sangue persistir por pelo menos dois ou três dias, ou se as cetonas aparecerem na urina.

Geralmente, as pessoas com diabetes devem testar seus níveis de açúcar no sangue pelo menos quatro vezes ao dia: antes das refeições e na hora de dormir (ou seguindo o cronograma recomendado pelo plano individual de tratamento do diabetes). A urina deve ser verificada quanto a cetonas sempre que o nível de açúcar no sangue estiver acima de 250 mg/dL.

Quando o nível de glicose alta no sangue permanecer constantemente elevado, apesar de seguir uma dieta e um plano de cuidado para diabéticos, procure o médico para fazer ajustes na dieta. Se o açúcar no sangue estiver alto por causa da doença, meça as cetonas e entre em contato com um profissional de saúde.

Procure atendimento médico imediatamente para estas condições:

– Vômito

– Confusão

– Sonolência

– Falta de ar

– Desidratação

– Níveis de açúcar no sangue que ficam acima de 160 mg/dl por mais de uma semana

– Leituras de glicose maiores que 300 mg/dL

– A presença de cetonas na urina

Cetoacidose, também chamada de coma diabético, é uma emergência médica. Procure atendimento médico de urgência nesses casos.

Product Image